7 de out de 2013

30% dos cursos tiveram desempenho insatisfatório no Enade, diz MEC

Cerca de 30% dos cursos avaliados pelo Ministério da Educação receberam nota insatisfatória no Enade, avaliação federal do ensino superior.
Em 2012, a pasta avaliou 7.228 cursos de 1.646 instituições de ensino superior. Eles foram reunidos numa base de cálculo de 6.306 unidades - cursos de uma mesma instituição realizados num mesmo município são agrupados. Ao todo, 536 mil estudantes, do último e penúltimo semestre da graduação, fizeram a prova.
O exame é aplicado para um mesmo grupo de cursos a cada três anos - os dez cursos de bacharelado e seis tecnológicos que participaram do Enade em 2012 também foram avaliadas em 2009. Entre elas, por exemplo, estão direito, administração, relações internacionais, psicologia e comunicação social. O nome das instituições avaliadas só será divulgado na tarde de hoje.
No ano passado, 30% dos estudantes dos cursos tiveram nota 1 ou 2 no Enade, considerada insatisfatória. Outros 68,3% receberam índices 3, 4 ou 5 e apenas 1,8% não receberam conceito (casos em que o curso não tem concluintes).

COMPARAÇÕES

Em 2009, quando esses mesmos cursos foram avaliados, o percentual de cursos com nota insatisfatória no Enade foi de 24,9%. Apesar de o índice ser menor do que o verificado no ano passado, o ministro Aloizio Mercadante (Educação) argumentou que houve melhora nesse período.
Isso porque naquele ano 26,6% dos cursos não tiveram nota no Enade - em 2012 esse índice foi de apenas 1,8%." As notas 4 e 5, que são de excelência, tiveram crescimento importante", ponderou Mercadante em coletiva de imprensa.
Ao comparar o desempenho no Enade de públicas e privadas, as primeiras mantêm melhor resultado. "As públicas continuam, no ensino superior, bem melhor do que as privadas", disse o ministro. Enquanto 17% dos cursos de instituições públicas receberam a nota máxima no Enade, entre as privadas esse percentual foi de 3,5%.

CPC

O desempenho dos estudantes no Enade tem peso importante na formação do CPC (Conceito Preliminar de Curso), índice que representa a qualidade dos cursos e que leva em consideração, além do exame, fatores como titulação do corpo docente e infraestrutura da instituição.
É com base no CPC - que também tem gradações entre 1 e 5 - que os cursos com qualidade ruim são punidos, impedidos de abrir novas vagas em vestibular. No ano passado, 207 cursos foram impedidos de ofertar vaga em processo de seleção.
A expectativa é que o CPC de cursos avaliados em 2012 seja divulgado em novembro - 70% do índice vêm dos resultados do Enade.
No próximo mês, alunos de cursos da área de saúde - como medicina, farmácia e educação física - farão o Enade. Neste ano, os alunos não poderão apenas assinar a prova e entregá-la em seguida. Portaria da prova de 2013 afirma que o aluno deve ficar pelo menos 1h na sala de aula, caso contrário não será considerada sua participação.
Participar do Enade é obrigatório para os alunos concluintes - sem ele, o diploma não é entregue.
"Cada vez mais o mercado de trabalho olha o desempenho do Enade. O empenho deles em fazer um bom Enade ajudará a valorizar seu currículo, seu diploma e sua carreira profissional", defendeu Mercadante.

FONTE; FOLHA.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário