2 de nov de 2010

Igreja Católica cubana vai abrir o seu primeiro seminário em mais de meio século.

A Igreja Católica cubana inaugurará nesta semana seu primeiro seminário em mais de meio século, em um símbolo da progressiva normalização de suas relações com o governo comunista.
Operários dão os últimos retoques ao complexo de cor salmão que desponta entre a vegetação tropical 15 quilômetros ao sul de Havana. O presidente Raúl Castro deverá comparecer à inauguração do novo centro de formação de sacerdotes no dia 3 de novembro, em um importante sinal político.

"Ele sabe o que significa para nós essa construção. Há uma boa disposição do presidente para com a igreja e ele está demonstrando isso com sua presença na inauguração", disse à agência Reuters o reitor do instituto, Antonio Rodríguez.
A nova sede do seminário de San Carlos y San Ambrosio será inaugurada no melhor momento das relações entre a igreja e o Estado comunista, caracterizada durante décadas por uma forte desconfiança.
A Igreja converteu-se este ano em um importante interlocutor do presidente Raúl Castro.

ACORDO

O arcebispo de Havana, o cardeal Jaime Ortega, negociou com ele a libertação de meia centena de presos políticos e abriu, segundo diplomatas ocidentais, um canal extraoficial de comunicação entre Cuba e EUA.
O seminário substitui um complexo similar desapropriado em 1996 da igreja pelo governo e transformado em quartel militar, que atualmente é uma academia de polícia.
O instituto religioso funcionava desde então em um edifício do século 18 no centro histórico de Havana que, dizem, ficou muito pequeno. Rodríguez disse que durante muito tempo a construção de um novo seminário parecia "impensável."

"Indiscutivelmente aumenta a visibilidade da igreja. Temos de olhar isso com esperança", ressaltou o sacerdote de 59 anos.

Os católicos cubanos veem o seminário como um passo para a abertura de novos espaços para a religião na sociedade cubana. Esta é a primeira construção que a igreja tem a autorização para fazer em meio século.
Para celebrá-los viajarão esta semana para Havana bispos do Vaticano e de vários países, entre eles o arcebispo de Miami, Thomas Wenski.

Nenhum comentário:

Postar um comentário