16 de dez de 2009

A difícil decisão do PSOL .

Nosso Partido encontra-se hoje diante de alternativas que remetem à reflexão de todos os filiados, militantes e simpatizantes.
Se por um lado até o Segundo Congresso Nacional todos torcemos para que Heloisa Helena fosse novamente nossa candidata à Presidência da República, encarnando nosso projeto de mudanças e capitaneando nossa campanha eleitoral nacionalmente, na prática isso não se deu, Heloisa Helena não quis assumir esse papel, decidindo-se por uma quase certa eleição para o Senado em seu estado (Alagoas). Isso frustrou as expectativas de boa parte da militância, que não consegue vislumbrar outro nome que possa unificar o Partido nacionalmente e dialogar e levar nosso programa às mais amplas massas.
Dificilmente conseguiremos ter uma candidatura própria que consiga unificar e empolgar o Partido nacionalmente e se for uma anti candidatura isso apenas fortaleceria nosso isolamento e nos levaria para o gueto político.
Vivemos também um momento , em que a correlação de forças para os setores mais à esquerda da sociedade brasileira é bastante desfavorável. Ancorado em alguns desfechos exitosos , como a saída da crise financeira mundial, o pré-sal e uma política de relações exteriores bastante arrojada, o governo Lula hoje desfruta de níveis de aprovação altíssimos para um segundo mandato em curso.
Assim sendo a esquerda tem de responder à algumas difíceis questões: Como romper o isolamento político ? Como aumentar nossa inserção social ? Como levar nossa mensagem e nosso programa às mais amplas massas ?
Eis que no estuário de tantos dilemas temos a candidatura Presidencial de Marina Silva pelo PV. È certo que o PV até hoje caracterizou-se por um evidente pragmatismo eleitoral e que em seu interior há pessoas dos mais diversos matizes, mas também é certo que Marina Silva é tida como um marco moral do mundo político e sabemos que durante o período em que foi Ministra e participante desse governo teve vários embates internos que acabaram culminando com sua saída do Ministério e após do PT.
Se ao invés de se filiar ao PV, se Marina tivesse vindo para o PSOL, será que receberia as mesmas críticas , que algumas companheiras e companheiros do Partido hoje lhe fazem?
Penso que o apoio à candidatura Marina Silva, desde que alicerçado em pontos programáticos comuns , além das questões ambientais , pode nos ajudar a romper o isolamento político, com espaço para dialogar com amplas massas e dessa forma nos firmar tanto no campo institucional, como no campo das idéias socialistas, indo para além da mesquinhez do pequeno debate interno que em alguns momentos apenas contribue para nos fracionar e dividir.
Essas reflexões são pessoais, embora pense que essa discussão deva ser travada o mais rápido possível no interior de todo Partido.
Fernando Turco

Presidente PSOL- São Caetano do Sul – SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário