1 de mar de 2011

Na fala de estreia em plenário, Jean Wyllys reforça defesa LGBT.


O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) fez na tarde desta quinta-feira (24) seu primeiro discurso na tribuna da Câmara. Ex-participante e vencedor do reality show Big Brother Brasil, Jean dispunha de 25 minutos em sua estreia – o Plenário da Casa, no entanto, não reunia 10 parlamentares. Nenhum aparte de boas vindas foi solicitado, a aridez do recinto não estimulava a troca de ideias, e Jean encerrou sua exposição quando o cronômetro se aproximava dos 15 minutos.
A ocasião estava cheia de ineditismos. Tratava-se de uma sessão não deliberativa em que, pela primeira vez na história da Câmara, um parlamentar homossexual assumido discursava sob a presidência de um padre, o deputado Luiz Couto (PT-PB). Antes do paraibano, a sessão era conduzida pela primeira mulher a compor a Mesa Diretora, a deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), 1ª vice-presidente da Casa.
Foi o primeiro discurso de Jean em plenário, mas o deputado já havia feito as vezes de líder do PSOL na ausência do titular, Chico Alencar (RJ), para orientação de bancada em uma das primeiras votações desta legislatura. Na fala de hoje, Jean lembrou a infância humilde em que sua mãe, se não estimulava a trilha da educação, não impediu que o menino se enfurnasse, aos sábados e domingos, na “biblioteca paroquial” de uma escola de Alagoinhas, no interior baiano.
“Para minha mãe, não era tão importante que a gente estudasse, pois, em sua cabeça, dedicação a estudos era coisa de gente rica. Acontece que eu sempre gostei de aprender e de ler. Sempre gostei da escola. E para escola eu ia mesmo nos dias em que não havia absolutamente nada para comer lá em casa”, discursou Jean.
Jean disse se considerar o “primeiro representante legítimo no Congresso Nacional” da comunidade gay. “Eu sou o primeiro homossexual assumido, sem homofobia internalizada e ligado ao movimento LGBT a se eleger deputado federal”, disse o deputado. Segundo ele, suas principais bandeiras no Parlamento serão as liberdades sociais e os direitos humanos.
“Eu quero fazer, de minha legislatura, uma fonte de justiça social e de defesa das liberdades civis e dos direitos humanos. Eu devo isso ao povo brasileiro. Eu devo isso a minha mãe, mãe coragem”, finalizou o deputado, formado em Jornalismo pela Universidade Federal da Bahia, onde concluiu mestrado e passou a se dedicar mais ao ensino superior.

FONTE: PSOL NACIONAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário