14 de mar de 2012

JUIZ DE FORA, SERÁ???

Restaurante Popular deve ser inaugurado em junho

Comsea cobra mais participação no projeto; PJF afirma que órgão terá espaço para dar sugestões

Por Fernanda Sanglard

Previsto para ser inaugurado em junho, conforme informou ontem a Prefeitura, o Restaurante Popular de Juiz de Fora é novamente alvo de polêmica. Desta vez, a queixa parte do Conselho Municipal de Segurança Alimentar (Comsea), que cobra mais espaço nas discussões que vão definir o modelo de gestão do estabelecimento. Conselheiros do órgão dizem que, em reunião realizada na semana passada, representantes do Executivo pediram até 45 dias para apresentar a proposta à entidade. "A questão é que não queremos apenas apreciar essa proposta, gostaríamos de discuti-la, de auxiliar na sua execução e contribuir para que o Restaurante Popular seja bem-sucedido na cidade. O mais importante para o Comsea, neste momento, é a garantia deste equipamento público, fornecendo alimentos de qualidade à população de Juiz de Fora e respeitando a legislação vigente", explica a secretária do conselho, Bettina Koryo.
A secretária destaca a experiência do grupo, que integra a Rede de Segurança Alimentar vinculada ao Governo federal. "Visitamos esses equipamentos em outras regiões e fizemos contato com responsáveis por outras unidades. No entanto, não temos participado da elaboração do plano gestor e não nos convidaram para ouvir nossas experiências." O vereador Flávio Cheker (PT), que também tem cadeira no Comsea, defende mais abertura do Poder Público. "Há mais de três anos insistimos na importância de se discutir o modelo de gestão, mas não tem sido aberto espaço para a participação efetiva. Há conselheiros que fizeram cursos de capacitação, e não creio que haja ninguém na cidade com mais conhecimento sobre restaurantes populares e condições de auxiliar no planejamento."
Outro receio é em relação aos prazos, já que, conforme edital do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), o projeto deve ser aprovado, preferencialmente, pelos conselhos municipal ou estadual de segurança alimentar. "Pediram 45 dias, mas já estamos em março. O Comsea quase não terá tempo para analisar e pedir alguma correção ou melhoria, se isso for preciso", ressalta Cheker.
O secretário de Planejamento e Desenvolvimento, André Zuchi, afirma que a Prefeitura está preparando o pano diretor do restaurante - que vai definir a forma de operação, o regimento e a política de preço - com o envolvimento de diversas secretarias e, por isso, ele deve ser apresentado ao Comsea apenas nas próximas reuniões. "Entendemos a ansiedade, pois o conselho tem atuado em prol do restaurante desde o início, mas haverá o momento certo de discussão e vamos abrir espaço para que haja sugestões. Inclusive, já estamos seguindo a resolução deles, e eles irão participar do conselho diretor, quando terão participação efetiva."
Zuchi ainda informa que os equipamentos já foram adquiridos e, até o final de abril, devem ser instalados. Segundo a assessoria da Secretaria da Obras, a previsão é que os trabalhos do restaurante sejam concluídos na primeira quinzena de abril. Atualmente, os serviços estão em fase de acabamento e implantação das instalações elétricas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário