28 de ago de 2010

Em debate, candidatura Plínio denuncia criminalização da pobreza.

A candidatura de Plínio Arruda Sampaio participou de um debate organizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e pelo curso de Políticas Públicas da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP-Leste sobre políticas de seguranças públicas.

Estavam presentes na mesa, Angela de Almeida, representando a candidatura de Plinio, o sociólogo Túlio Khan, representando José Serra e Dilma foi representada pelo prof. Vicente Tavares (RS), Marina Silva do PV não enviou representantes para o evento.

Durante o debate os representantes de Serra e de Dilma fizeram falas que deixaram de lado o extermínio da população jovem, pobre e negra que é sistematicamente morta nas periferias de todo o Brasil. O representante de Serra acredita que é necessário construir mais prisões, o representante de Dilma por sua vez defendeu as políticas do governo Lula como as UPP (Unidades de Policia Pacificadora) que ocupam favelas no Rio de Janeiro colocando a população local em verdadeiro estado de exceção.

A única que mostrou as inconsistências das políticas públicas de Serra e de Dilma foi Angela, representando o PSOL. Em sua fala frisou que a área de segurança pública é onde se manifesta de maneira mais violenta aquilo que Plínio vem denunciando durante toda a campanha, a descomunal desigualdade social.

Essa desigualdade se estrutura na criminalização da pobreza, mantida em dois pilares. O das prisões em massa para pequenos delitos contra o patrimônio e tráfico no varejo, o que leva ao escândalo de nossos cárceres. E o do castigo e extermínio dos pobres, através da tortura e das execuções sumárias, que se fazem ao completo arrepio da lei do próprio Estado democrático de direito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário