17 de mai de 2010

Em debate na UFRJ, Plínio defende a Frente de Esquerda.

Na manhã desta segunda-feira (17 de maio), Plínio Arruda Sampaio participou de debate promovido pela Escola de Serviço Social da UFRJ, junto com José Maria de Almeida (PSTU) e um representante da pré-candidatura do PCB, Eduardo Serra que foi ao evento no lugar de Ivan Pinheiro.
Cerca de 100 participantes da 5ª Semana de Integração Acadêmica em comemoração ao mês do assistente social ouviram as propostas dos pré-candidatos e suas avaliações sobre o processo eleitoral de 2010.
Plínio voltou a ressaltar que ”a direita está organizando a campanha para discutir trivialidades. A idéia de nossa campanha é dizer a verdade, custe o que custar”. Na opinião do pré-candidato do PSOL Serra/PSDB, Dilma/PT e Marina não vão fugir do script montado pela classe dominante.
Questionado sobre seu programa para educação, Plínio foi enfático. “Está no nosso programa e nós vamos fazer. Educação só pública, não tem particular. Ninguém pode ganhar dinheiro prestando o serviço de educar aos outros”.
Em relação à candidata do PV, sobre a qual alguns dos presentes afirmaram que poderia ser uma alternativa à falsa polarização PT/PSDB, Plínio afirmou: “A Marina é uma pessoa respeitável. Quando ela saiu candidata eu até escrevi um artiguinho no meu jornal com o título ‘Uma nesga de céu azul em tempo chuvoso’. Mas aí ela foi para o PV. E com o PV não dá, porque o PV é como diz o Garotinho, o partido da boquinha. E as declarações dela depois disso deixaram evidente que ela não quer enfrentar o sistema capitalista. Ela acha que é possível defender a natureza e o capitalismo”.
Plínio também defendeu a rearticulação da Frente de Esquerda (coligação PSOL, PSTU, PCB). ”Ainda há tempo. A política é uma coisa dinâmica, que muda com a conjuntura. Eu quero essa Frente e vou lutar por ela. Eu acho que o meu partido demorou um pouco mesmo. Agora, isso acontece. Não perdi a esperança de sairmos todos juntos”.
Discutindo a democratização da comunicação, Plínio também voltou a defender a estratégia de diálogo com os eleitores e com população por meio da internet, especialmente via Twitter. “Nós da esquerda deveríamos ter uma ‘operação Twitter. E no final a gente tem uma rede extraordinária, até para receber finanças, porque nós não vamos receber dinheiro de empresários. De jeito nenhum’”.
Estiveram presentes à atividade o pré-candidato ao governo do Estado do Rio de Janeiro pelo PSOL, Jefferson Moura, o pré-candidato ao senado também pelo PSOL, Milton Temer, e o deputado federal Chico Alencar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário