18 de mai de 2010

Plínio de Arruda participa nesta quarta-feira da I Marcha Nacional Contra a Homofobia.

O pré-candidato à Presidência da República pelo PSOL, Plínio Arruda Sampaio, participa nesta quarta-feira (19 de maio), da I Marcha Nacional contra a Homofobia, que terá início às 9h na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF). A marcha, organizada por entidades defensoras dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transsexuais, pretende ser a primeira manifestação nacional contra a homofobia. Para Plínio de Arruda, o único pré-candidato à Presidência a confirmar presença no evento, que deve reunir cerca de 3 mil pessoas de todas as regiões do país, ”O Estado brasileiro é plural e deve respeitar os direitos a orientação sexual dos indivíduos. Por isso aceitei o convite para prestar apoio e solidariedade às reivindicações da 1ª Marcha LGBT”.
Entre as pautas principais da marcha estão temas como a garantia do estado laico, fim do fundamentalismo religioso, julgamento das ações LGBT que tramitam atualmente no legislativo, a aprovação do PLC 122 e a execução das 865 ações da I Conferencia Nacional LGBT, realizada em 2008. O dia escolhido para a manifestação faz referência ao 17 de maio de 1990, data histórica na qual a Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças (CID), afirmando que a mesma não se constitui como doença, nem como distúrbio e tampouco como perversão. Os países membros das Nações Unidas adotaram a nova classificação a partir de 1993. Com isso, chegou ao fim um período de quase 2 mil anos em que a cultura ocidental judaico-cristã apontou a homossexualidade primeiro como pecado, depois como crime e, por último, como doença.
Vinte anos depois, no entanto, lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transsexuais (LGBT) ainda sofrem cotidianamente com a homofobia, que consiste no medo, aversão, ou o ódio irracional aos homossexuais. No Brasil, que simplesmente não possui nenhuma lei favorável aos homossexuais em sua constituição federal, os números revelam que a violência contra os LGBT’s cresce a cada dia. Segundo dados da ONG Grupo Gay da Bahia (GGB), o Brasil lidera a lista de países com maior número de homicídios contra homossexuais no mundo. Só em 2009 foram cerca de 200 assassinatos, uma média de um crime a cada dois dias.

Debate – Após falar na Marcha, Plínio p articipará do debate Roda Vida com os presidenciáveis na Universidade de Brasília (UnB). O debate, aberto ao público, terá início às 10 horas no auditório Joaquim Nabuco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário