9 de jun de 2012

Eurogrupo convoca teleconferência urgente sobre resgate à Espanha

Os ministros de Economia e Finanças da zona do euro celebrarão a partir das 11h (horário de Brasília) deste sábado uma teleconferência urgente sobre o possível resgate europeu ao sistema bancário espanhol, confirmou o porta-voz do presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker.
A Espanha por enquanto não formalizou seu pedido de ajuda à Europa, que poderia acontecer em qualquer momento depois da noite de ontem, quando foi antecipada a publicação do relatório do FMI (Fundo Monetário Internacional) sobre a situação do sistema financeiro espanhol.
A Comissão Europeia aconselhará Madri a aguardar até conhecer as necessidades exatas de seus bancos antes de formular qualquer pedido de auxílio, apesar de ter reiterado o tempo todo que a decisão sobre o momento de fazer isso depende exclusivamente do Executivo de Mariano Rajoy.
Apesar de ainda haver auditorias em andamento sobre a situação dos bancos na Espanha, o governo acredita que todas seguirão a mesma linha do relatório do FMI, pelo que somente esse documento já serviria como base para formular a solicitação.
FMI
O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou nesta sexta-feira (8) sua avaliação inicial sobre as necessidades do setor financeiro na Espanha e apontou que as entidades mais fracas necessitam aumentar suas reservas de capital "em cerca de € 40 bilhões" (R$ 104 bilhões).
A avaliação do FMI, divulgada dois dias antes do previsto, explica que "o núcleo do setor financeiro espanhol está bem administrado e resistiria a novos choques, mas ainda existem grandes vulnerabilidades no sistema".
O exame do FMI "não teve por objetivo estabelecer um número definitivo para as necessidades de capital, mas detectar deficiências críticas em alguns segmentos e instituições determinadas", disse o comunicado da instituição.
"Num cenário desfavorável, os maiores bancos estariam suficientemente capitalizados para resistir a novas deteriorações, enquanto que vários bancos necessitariam aumentar suas reservas de capital em cerca de 40 bilhões em termos agregados".
INJEÇÃO
Mais cedo, o Ministério de Economia da Espanha informou que os bancos passarão por uma terceira rodada de injeções de capital quando terminarem as análises que estão sendo realizadas de forma independente sobre suas finanças.
Segundo a pasta, o Banco da Espanha (o banco central do país) vai analisar o resultado dos trabalhos das consultoras e auditoras contratadas para calcular a ajuda adicional que os bancos do país precisam, para depois exigir seus saneamentos.
Os números finais serão anunciados no dia 31 de julho. Ainda hoje, a Comissão Europeia recomendou à Espanha que espere a divulgação dos resultados dessas auditorias antes de solicitar um resgate à União Europeia.

FONTE: FOLHA.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário