16 de set de 2012

EM JUIZ DE FORA: Partidos descartam definição no 1° turno

O acirramento da disputa pela Prefeitura de Juiz de Fora revelado pela pesquisa do Ibope, encomendada pela Tribuna e pela TV Integração, levou os dirigentes de PT, PMDB e PSDB a descartarem de vez qualquer hipótese de definição no primeiro turno. Para eles, o fato de o levantamento espontâneo, quando não são apresentados nomes aos entrevistados, apontar o segundo e terceiro colocados somando juntos um percentual muito superior ao do primeiro colocado acaba sacramentando a necessidade do segundo turno. Ou seja, Margarida Salomão, com 29% das intenções voto, é superada pelo somatório de Bruno Siqueira (PMDB), com 20%, e de Custódio Mattos (PSDB), com 18%. Para ser eleita já no dia 7 de outubro, a petista precisaria superar a votação de todos seus adversários juntos. Nessa pesquisa, Marcos Aurélio Paschoalin (PRP) e Victória Mello (PSTU) não pontuaram, e Laerte Braga (PCB) não foi citado por nenhum entrevistado.
Em comparação com a pesquisa espontânea anterior, divulgada no dia 16 de agosto, Margarida, Bruno e Custódio cresceram significativamente. A petista subiu de 22% para 29% das intenções voto; o peemedebista de 13% para 20%; e o tucano de 10% para 18%. Custódio e Bruno também conseguiram reduzir seus índices de rejeição. Quando é perguntado ao eleitor em qual candidato ele não votaria de jeito nenhum, o atual prefeito é preterido por 37% dos entrevistados. O percentual, contudo, é 14 pontos percentuais menor do que o do levantamento anterior. Entre aqueles que rejeitam Bruno, o índice caiu de 10% para 3%. Já os votantes que preteriram Margarida oscilaram de 15% para 16%. Nesse quesito, Paschoalin e Victória estão empatados em 12% contra 7% de Laerte. Seus percentuais praticamente se mantiveram em relação à pesquisa de 16 de agosto.
O Ibope também voltou a avaliar o grau de satisfação dos eleitores com a Administração do prefeito Custódio Mattos. A avaliação "ótima" subiu de 2% para 6%, enquanto a conceituação "boa" oscilou de 23% para 24%. Cresceu de 28% para 34% o percentual de eleitores que considera a gestão tucana na cidade regular, ao passo que 21% a taxaram de ruim (contra 27% que fizeram essa avaliação em agosto) e 14% de péssima (contra 20% verificados anteriormente). Quando questionados se aprovam ou não a forma como Custódio está sendo administrado o município, o grau de desaprovação caiu de 62% para 57%. Em contrapartida, a aprovação subiu de 36% para 39%.
Em se tratando dos problemas da cidade, a saúde manteve-se como o setor onde há maior insatisfação do eleitorado, apontado por 55% dos ouvidos pelo Ibope como área de maior gravidade. Em segundo lugar está o transporte coletivo e o calçamento de ruas e avenidas, ambos com 6%, seguido pela segurança pública, o trânsito e a limpeza urbana, cada um com 5%. Quando os cidadãos foram convidados a apontar três problemas, o grau de insatisfação com a saúde saltou para 79%, seguido de segurança pública, com 43%, e educação, com 32%.

FONTE: TRIBUNA.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário